07/05/08

UM HOMEM DOS SETE OFÍCIOS!


( Clique em cima da imagem para ampliar) foto gentilmente cedida pelo próprio

Manuel da Silva Marreiro – Nasceu no Rasmalho, concelho de Portimão, a 4 de Março de 1921, filho de pais Monchiquenses. Viveu nas Caldas de Monchique, entre 1945 e 1965, onde foi barbeiro, comerciante, apicultor, fotógrafo, poeta popular e editor de postais ilustrados sobre o concelho, revelando as fotografias em laboratório próprio. A sua paixão pela criação de abelhas levou-o a fabricar as próprias caixas para as colmeias.

Em Maio de 1965 partiu para França na condição de emigrante e com um curso de carpinteiro feito à pressa. Estabelecido em Estrasburgo na região da Alsácia aqui mostrou ser um homem multifacetado e extremamente habilidoso, pois adaptava-se facilmente a qualquer trabalho. Foi carpinteiro de exteriores de casas típicas alsacianas, restaurou as cantarias da catedral de Estrasburgo e mais tarde trabalhou numa fábrica de cerveja. Em 1985 foi agraciado pelo governo Francês com a medalha de honra do trabalho em reconhecimento de vinte anos de bons serviços prestados à França. Voltou de novo em 1986 a Portugal onde vive actualmente na cidade de Portimão.

Paralelamente foi fotógrafo junto da comunidade portuguesa, tendo chegado a expor os seus trabalhos, que tiveram cobertura da televisão francesa, à qual deu uma entrevista onde se mostrou um europeísta convicto: "tenho uma filha casada com um francês e um filho casado com uma espanhola. É assim que se constrói a Europa".

São da sua autoria muitas das fotos, antigas, publicadas no blogue MONS CICUS!

6 comentários:

Rui Duarte disse...

Extremamente emocionado, é como me sinto!
Nasci na casa ao lado da do vizinho Marreiros, foi a esposa dele, a vizinha Adélia (minha segunda mãe) que me ajudou a nascer.
O vizinho Marreiros tirou-me imensas fotografias e era ele que me cortava o cabêlo.
A minha sentida homenagem a esse extraordinario homem. Desejo-lhe tudo de bom.
Muito obrigado amigo Sonhador.

Rui José Messias Duarte

Dora Gomes disse...

Infelizmente, hoje, cada vez há menos monchiquenses desta fibra. O que prolifera é a malandragem e gatunagem que o Estado e a sociedade promovem, através de uma pseudo educação e os subsídios a quem não faz nada. Dora Gomes

ana pinto disse...

É estimulante conhecer a história de um monchiquense com espírito tão polivalente, cujo belo trajecto lhe abriu os horizontes da vida e da mente.

Gostei muito que o amigo Sonhador prestasse aqui homenagem a um conterrâneo vivo.
Ao contrário do que muitos possam dizer, existe em Monchique gente de valor, empreendedora e com vontade de dar o seu contributo à terra.
Não vou "alomear" santos, mas penso que os exemplos serão evidentes para quem conhece a dinâmica da vila.

Ana Bela disse...

Bom dia a todos. Sou a filha do homem dos 7 oficios e tive imenso orgulho e alegria em ver o meu pai neste blog e saber também o prazer que ele teve. Obrigada amigo sonhador e monchiquense. Foi também um enorme prazer ler o comentario do Rui o amigo da minha pequena infancia passada nas Caldas em tempos felizes e saudosos. Um abraço a todos de Bordéus.

Ana Bela

Chrismarre disse...

Tenho a imensa honra de ser o filho do "Mestre das Caldas de Monchique".
Este apelido perfeitamente justificado de Manuel da Silva Marreiro comprova a abertura e polivalencia de espirito e de mãos deste grande homem.
Sei que a sua presença e a contribuição decisiva pelas idéis avanguardistas e de grande alcance, continuam a ajudar-me cada dia a ver o mundo com olhos curiosos e compreensivos.
Obrigado Pai e boa continuação.
Cristiano Marreiro

Avelino Pereira disse...

O Vizinho Avelino e Família estão
totalmente de acordo com a frase
"O Homem dos sete ofícios"
Parabéns Sr. Marreiros e Felicidades.

Veja as fotos que se encontram, em baixo, no final do blogue!

Todas as fotos são referentes ao concelho de Monchique!

as mesmas são propriedade deste blogue e do seu autor

as mesmas são propriedade deste blogue e do seu autor