05/12/07

POVOAÇÃO DO ALFERCE!

(clique em cima das fotos para ampliar)
Uma Freguesia onde o Poder Local criou, recentemente, algumas infra-estruturas a pensar nos mais novos, como um Polidesportivo, além de uma escola que já existia, mas que não serviu para deter na povoação, os poucos jovens em idade escolar, a quem foi imposta a sua deslocação para a sede do concelho.

Uma Povoação que há muito parou no tempo, com cada vez menos habitantes, como acontece em todo o resto do concelho, onde nem a melhoria da rede viária contribuiu, minimamente, para o seu desenvolvimento. O presente serve apenas a quem já atingiu a idade da reforma, e procura, somente, a paz e o sossego do local. O futuro será sempre uma incógnita.

8 comentários:

ana pinto disse...

Para melhor conhecer a história, etnografia e evolução demográfica do Alferce, aconselho vivamente a leitura do estudo monográfico realizado por José Rosa Sampaio, disponível na Biblioteca Municipal de Monchique.

O autor coloca em cima da mesa sugestões interessantes para desenvolver as potencialidades daquela freguesia, e mostra como esta perdeu, no período de 60 anos, três quartos da sua população...

Anónimo disse...

D. Ana Pinto.
Sabia que esse estudo nao foi asseite pela junta da freguesia do Alferce pois o seu presidente não lhe da valor para ser uma publicaçao daquela entidade?
É assim que irresponsaveis perdem oportunidades unicas de assegurar este patrimonio. felismente ainda à pessoas como o Senhor Jose Rosa que tem-se aplicado e oferecido a biblioteca os seus estudos., Merecia era mais respeito pelos responsaveis da terra.

Tomé

Anónimo disse...

O Dr. José Sampaio é bem o exemplo da perseguição do caciquismo Tutista. Este senhor, cujo trabalho acompanho há mais de trinta anos nos jornais algarvios, Jornal de Monchique e noutras publicações, nomeadamente os imensos estudos editados por sua conta, grande parte deles sobre Monchique (Vejam o último jornal Edição Especial, n.º 9), não tem sido minimamente reconhecido pela terra que o viu nascer.

Artur Vasconcelos

Anónimo disse...

Nem ele nem nenhum outro.
Veja-se o caso do António Manuel Venda, do Manuel do Nascimento, do Silva Carriço e de tantos outros que nas mais variadas actividades criadoras têm feito um trabalho que honra todos os monchiquenses.
Que Tuta de incompetência!

Anónimo disse...

Mais uma achega para o conhecimento da obra do prof. José Sampaio
Tem mais de 300 !!! trabalhos escritos e publicados sobre Monchique: brochuras, em edição de autor, artigos sobre História e Cultura local em jornais locais, regionais e nacionais, revistas, obras gerais, etc. e está citado em muitos livros de referência. A maioria dos seus estudos encontra-se nas bibliotecas da região.
Ana Hartman

Anónimo disse...

Já que alguém falou dos escritores monchiquenses, não nos devemos esquecer das escritoras monchiquenses, como Glória Maria Marreiros (do Algarve Outro), Glória Marreiros (livros de poesia), Margarida Ginjeira Dias (Serões de Monchique, 1939), Francisca Cruz, Fernanda Dias (vários livros de poesia), de Graça Ventura (historiadora com vasta obra publicada), Lilia Barbara (livros de poesia), e outras de que não me recordo. Monchique como terra pequena e despovoada tem muitos e excelentes autores e isso deveria ser orgulho para conterrâneos e autarcas.
Fátima Dias

Anónimo disse...

Monchique é seguramente a terra do Algarve com mais escritores por km2Já agora juntem também o Americo Telo, que agora virou também poeta com o livro "Interpelações".
Cumprimentos
Jose Augusto Marreiros

ana pinto disse...

Sr. Tomé:

Desconhecia tal facto, que me deixa algo desanimada por constatar que Monchique ainda não dá o valor merecido aos seus filhos pródigos. E seria de louvar que o fizesse durante as suas vidas, pois merecem reconhecimento pelas obras do seu talento, e que têm engrandecido o nome da região ao longo dos tempos.

Por outro lado, esse reconhecimento também, na minha opinião, não tem sido dado aos ilustres monchiquenses que já partiram, e que nos legaram ricos contributos, e de que é exemplo sintomático José António Guerreiro Gascon. Apesar de a CMM ter patrocinado a edição fac-similada do seu precioso contributo monográfico, penso que deveriam ser tomadas outras medidas para honrar a sua memória.

No caso de José Rosa Sampaio, lamento que (a ser verdade o que disse) seja alvo de intrigas políticas, já que se trata de um autor que tão abnegadamente se tem dedicado ao estudo aprofundado da História de Monchique, e que tem enriquecido (e continua a enriquecer) o acervo da Biblioteca Municipal com os seus animosos trabalhos.

E nos restantes comentários foram citados muitos outros, cujos nomes e obras deveriam ser mais amplamente divulgadas, por fazerem parte da identidade de Monchique.

Veja as fotos que se encontram, em baixo, no final do blogue!

Todas as fotos são referentes ao concelho de Monchique!

as mesmas são propriedade deste blogue e do seu autor

as mesmas são propriedade deste blogue e do seu autor