27/03/07

É UMA BÊNÇÃO VIVER EM MONCHIQUE!


PARQUE DE ESTACIONAMENTO SUBTERRÂNEO DE S. SEBASTIÃO!

NINGUÉM PAGA NADA!

Depois de tanta polémica sobre a necessidade da construção do parque de S. Sebastião em Monchique, verifica-se, agora, que o piso autorizado a estacionar está sempre cheio de veículos. O piso inferior ainda não está ao serviço dos utentes.

Também se não fosse assim seria caso para admirar, desde que foi inaugurado há mais de dois anos, até hoje, o seu estacionamento, continua gratuito.

Resta saber se o mesmo vai continuar assim eternamente? É que de esmolas destas, o povo desconfia sempre do porquê de tanta generosidade!

Ainda por cima em tempos de vacas magras!

8 comentários:

MaD disse...

Amigo Sonhador
Veja lá quanto é que não vale uma coisa destas...
O pessoal do baixo Algarve até à porta deles têm de pagar, que lhe puseram lá parquímetros, quanto mais nos parques cedidos a empresas privadas.
Aqui, já não bastavam os bons ares, a boa água, a maravilhosa paisagem, a paz e o sossego, ainda temos estacionamento de borla, coberto e com guarda.
Dá gosto viver em Monchique!...
Quem é que paga?!...
À nossa boa maneira, alguém há-de pagar...

Laurinda disse...

Outro dia recebi uma carta!
Era da minha prima Efigénia, onde ela me dizia:
Olha filha, tu que estás com problemas com o teu emprego, vem mas é morar novamente em Monchique. Até podes começar uma vida nova, e ir vender na Praça dos legumes e do Peixe que é a mesma coisa, e juro-te que não vais pagar nem um cêntimo à Câmara por o aluguer das bancadas, é tudo completamente de borla, e no fim do dia, ainda vem os empregados da Câmara fazer a limpeza. Sim porque eles são muito asseados e deixam tudo num brinquinho.

Se quiseres te dedicar ao artesanato, eles na Foia, estão lá arranjando aquilo tudo de novo, e aquela infra-estrutura Turística, é que é um bom futuro, porque aquilo é muito bonito, e turistas não vão faltar, e tinhas ali o teu ganha pão garantido, porque o artesanato ainda continua a dar muito, mesmo com a concorrência dos chineses, e tu possivelmente também não irias pagar nada, porque eu tenho aqui bons conhecimentos e com jeito, tudo se havia de arranjar.

Se quiseres ir visitar os teus pais, que ainda moram na Foz do Carvalhoso, o autocarro da Câmara, também te leva e traz de borla, sem teres de pagar absolutamente nada, e olha que os autocarros são muito cómodos.

Como sei que gostas muito de água, por isso é que traíste as tuas raízes, para estares perto do mar, e como gostas muito de nadar, e para te fazer esquecer a nostalgia, também podes ir de vez em quando dar um mergulho na piscina nova, que é uma maravilha, é tudo à borla, ninguém te vai pedir nada nem à entrada nem à saída.

Se quiseres alugar uma casinha, aí já é um bocadinho mais complicado, porque não há casas da Câmara disponíveis e a dos particulares custam muito caro. As promessas de fazer casas novas foram muitas, mas deve estar tudo “em águas de bacalhau”, porque nunca mais ouvi falar nelas. Mas em compensação a água aqui é muito baratinha e ainda por cima, não vais pagas a taxa de resíduos sólidos e tão pouco a taxa de conservação e tratamento de esgotos.

Olha filha, vem depressa que é para aproveitares a água que corre aqui nas nossas torneiras, porque já há por aí uns mal intencionados, que andam a dizer que vamos começar a beber da mesma água que vocês aí consomem. Como isso vai ser feito, não me perguntes que eu também não te sei responder. Mas isso deve ser boatos, tu deves saber como é esta coisa da política, inventa-se sempre muita coisa, e depois acaba por não ser nada do que dizem, só para chatear aqueles que já estão no poder.

Vem filha, dizia ela, e depressa, porque as coisas quando se começam a saber, não falta por aí muito estrangeiro a querer vir morar para cá, e tu ainda te podes arrepender senão vieres. E ainda por cima, tens aqui um parque, onde podes colocar o teu automóvel de dia e de noite e sempre bem vigiado e com muita segurança.

Porque também te digo, se não conseguires a casinha, alguma coisa se há-de arranjar. Já sabes, podes contar com a amizade sincera da tua prima Efigénia.

E não é que isto entrou-me na cabeça e já estou a ponderar seriamente na proposta da minha prima, e no meu regresso á terra que me viu nascer.

Anónimo disse...

Pois é, são os prós e os contras dos dinheiros da UE.
Eles finaciam estes investimento megalómanos mas dizem que num prazo que uns quantos anos os resultados das obras têm que ser gratuitos para os utentes. Claro que há sempre quem abuse do facto de ser grátis, quem desconfie e não use, e quem apesar de usar e abusar ainda ponha defeitos em cima... É mais uma vantagem de se viver em Monchique, para os de cá e os de fora. Sendo que, na minha opinião, deveria ser criado um cartão de residente em Monchique, que nos permitisse usufruir dos equipamentos ou gratuitamente ou com consideravel desconto. Ou seja, os de fora pagavam parque, piscina, gimno-desportivo, espaço net, galeria stº antónio, etc, e os de cá tinham vantagens. Afinal temos que criar incentivos para as pessoas ficarem cá, e não virem só de fim de semana usufruir da gratuitidade dos nossos equipamentos. Claro, não obstante da construção de um novo bloco habitacional a custos controlados, parque empresarial, etc.

Anónimo disse...

Está roto,chove la dentro.
Pagaram e ficaram mal servidos(Os contibuintes,claro)
Cheira-me a corrupcão.

Anónimo disse...

Anda esta gente anos e anos nas faculdades e depois é só disparates...
Os milhoes gastos no parke de estacionamento certamente que seriam melhor aplicados noutras infraestruturas...talvéz de maior utilidade...
Foram gastos milhões na construção e ainda ñ deu um unico cêtimo de lucro, pelo contrário só dá despesa, milhares de euros por mês, em manutenção, na empresa privada de segurança etc...etc...
Tambem é verdade que muitos que criticam deixam lá os seus carritos
como de de uma garagem particular se tratasse... ANDA TUDO AO MESMO!!!

Ass: Zé Nimguem

Anónimo disse...

Pena, é que o parque tenha sido construido para garagem particular de «meia dúzia» de senhores, que metem lá dentro as suas colecções de carrinhos, não deixando lugares vagos para outras pessoas que precisam de um estacionamento quando visitam Monchique. No verão passado aconteceu muitas vezes, não haver um lugar vazio. O mesmo acontece quando existe um evento qualquer, como na altura da feira do presunto ou dos enchidos. Basta passarmos por lá a qualquer hora, para verificarmos que os carros são sempre os mesmos, sempre nos mesmos lugares, ocupando aqueles lugares que os seus donos acha que são os melhores. Até existem alguns carrinhos se dão ao luxo de ter uma capinha por cima, como se estivesse na sua própria garagem. Alguns nem papeis de inspecção ou seguro, têm colados no vidro(para quê se estão nas suas garagens e não saem de lá?)´. Porque é que a cãmara não cobra a estes senhores uma mensalidade por carro? Talves assim, em vez de terem no parque,4 ou 5 carros, tivessem só 1 ou 2 por pessoa, deixando uns lugarzinhos para quem nos visita e, contribuiam assim com alguns euros para a electricidade e manutenção do parque. Penso também, que as primeiras horas não deveriam ser pagas,(ou as primeiras 24 horas) afim de incentivar a permanências por mais tempo a quem nos visita.

Anónimo disse...

A solução é fechar o parque por algum tempo, mandar retirar de lá todos os carros. Lembro que quando foi a feira do presunto, foram colocados em alguns carros que não saiam do parque há mais tempo, um papel a pedir a retirada do ou dos veículos, afim, de arranjar alguns lugares para estacionamento. Foram muito poucos os que o fizeram. Muitos simplesmente ignoraram o pedido feito, julgo, que pela autarquia. Sendo assim, já que poucos respeitam, o melhor é a retirada de todos os veiculos temporariamente do parque. Colocarem as cancelas da entrada e saida a funcionarem, como já estiveram e, começarem a cobrar aos carros que lá permaneçam por mais de 1 dia.

antónio disse...

Na semana de 14 a 18 de Fevereiro, a Câmara Municipal de Monchique, encerrou parcialmente o parque de estacionamento de São Sebastião para limpeza. Primeiro foi encerrado o piso -1, ficando a funcionar para estacionamento o piso -2. A meio da semana foi então encerrado o piso -2, passando a funcionar o piso -1. Foram colocados papeis a avisar o encerramento do parque, em todas as portas de acesso e, tambem nas viaturas que se encontravam estacionadas no interior do mesmo. No início da semana quando foi encerrado o piso -1, foi uma correria. Quem tinha os carros estacionados no piso -1, tentou logo arranjar lugar no piso -2, não fosse o piso encher e os carros tivessem que ficar ao relento. O piso -2 logo ficou cheio, sem qualquer lugar para estacionar. A meio da semana tornou-se a repetir a mesma coisa, desta vez foi o piso -1 que logo encheu, para que fosse limpo o piso -2. Mais uma vez poucos respeitaram as ordens dadas pelos responsáveis do parque, para que fossem retirados todos os veículos dos respetivos pisos. O piso -1 nunca ficou vazio, mais de 30 viaturas continuaram estacionadas nos mesmos lugares. No piso -2, foi a mesma coisa, 40 viaturas ficaram estacionadas nos mesmos lugares. Pessoas que têm no parque 4, 5 ou 6 carros, não fizeram nada para cumprir as ordens dadas pelos responsáveis. Limitaram-se a retirar os papeis do pára-brisas, como de nada se tratasse. Sugiro que da próxima vez que seja feita limpeza, fechem o parque totalmente. Que sejam rebocados os que teimam ignorar as ordens dadas. O número abusivo de carros por pessoa no parque, está a aumentar e, deve ser controlado. Existem casos de pessoas que tinham garagens alugadas e que, com a abertura do parque logo as abondonaram, poupando assim o custo mensal que as viaturas, algumas em fim de vida, lhes custava. Qualquer dia não existem lugares vazios no parque, para quem necessita de estacionar por alguns minutos ou horas. Agora que se aproxima mais uma feira dos enchidos, era bom que tentassem arranjar mais alguns lugares de estacionamento para quem nos visita. O PARQUE É PARA TODOS E, NÃO SÓ PARA ALGUNS.

Veja as fotos que se encontram, em baixo, no final do blogue!

Todas as fotos são referentes ao concelho de Monchique!

as mesmas são propriedade deste blogue e do seu autor

as mesmas são propriedade deste blogue e do seu autor