13/05/07

O LARGO DOS CHORÕES ERA ASSIM EM 1928!


(clique emcima da foto para ampliar)


Agora mais uma vez vai haver obras! Como ficará desta vez?

Será que os arquitectos e engenheiros que estão ao serviço da Autarquia, que tão boa conta vão dando de si, pelas obras que nos vão prendando ao longo dos anos e que os Monchiquenses tanto elogiam, estarão à altura, desta vez, para nos fazer da nossa “sala de visitas”uma obra que seja o orgulho de todos nós?

5 comentários:

Anónimo disse...

Não concordo com a seu"sonho"
não há uma obra "filha"dos "nossos engenheiros"que se possa dizer..benza-te Deus.
as casa deles sim...são lindas de morrer..e feitas"nos bons tempos".
A esperança é a ultima a morrer!
bem aja.

Anónimo disse...

Ó amig---tenha dó
muda essa fulerosa música--de WEASEL OU OUTRA...

MaD disse...

Excelente testemunho do passado.
Há 80 anos, o Largo dos Chorões era um LARGO.
Agora, quase sem espaço, ocupado por construções forçadas - café/restaurante, lago, nora e alcatruzes, etc - tudo muito "bonito", "moderno" ou como lhe queiram chamar, deixou de o ser.
E quanto mais coisas lá puserem, menos LARGO fica. (Dos dicionários:
Largo: extenso, amplo, espaçoso...)
Com estas pequenas árvores já desenvolvidas, como o conheci há 50 anos, era bem mais bonito.
Cumprimentos, amigo Sonhador.

Anónimo disse...

Um enorme plátano servia de sombra uma vasta área....debaixo, vendia-se o peixe e não só.
Dois belissimos exemplares de Chorão, emprestando o nome á fonte e seu tanque e logo ao largo...

Há pouco tempo
Um jovem exemplar tentou existir junto á sua amada...a água,
mas,foi decepado,como erva daninha,por indecência e má figura....pela ignorância.
Viva as árvores africanas.

Que saudades dos homens desse tempo que tinham mando,pouco dinheiro,mas muita intelingencia.

No seu lugar hoje existe um campo de obstáculos!!!!!
Uma lástima digna do 3ºmundo.
Num tempo em que em todo o mundo se devolve o direito ao peão e ESPECIALMENTE a quém se movimenta com dificuldade!!!!

Da acual equipa técnica e seus jogadores,não esperem surpresas.
Eles estão condicionados pelas suas capacidades e currículo.
Quém não tem pé ,não dá coiçe!

Emir

Anónimo disse...

"Foi em Outubro na feira da Vila.
Na véspera chegaram os homens e as mulheres que vinham de outras feiras.
Procuraram o empregado da Câmara que lhes indicasse os talhôes que lhes pertenciam,descarregaram á pressa os baús,as caixas de bugigangas,os toldos e os paus que iriam sustentar o pano das barracas.
Homens e mulheres,rostos brancos e morenos,tipos de muitas raças e irmãos na angústia,vestidos o mais sumáriamente possivel,faziam buracos no chão dum Largo que tinha por fundo DOIS CHORÔES ENORMES....o Largo era pequeno para tanta desgraça,para tanta ânsia e tanta miséria apesar dos seus DUZENTOS METROS DE COMPRIMENTO por CENTO E CINCOENTA DE LARGO."

=O ÚLTIMO ESPECTÁCULO=

MANUEL DO NASCIMENTO (1912/1966)

(talvez um dos melhores escritores neo-realistas portuguêses do sec xx),Monchiquense de boa cêpa.

(Reeditado há poucos dias com o patrocínio da Junta de Freguesia de Monchique)

Toninho da Foia

Veja as fotos que se encontram, em baixo, no final do blogue!

Todas as fotos são referentes ao concelho de Monchique!

as mesmas são propriedade deste blogue e do seu autor

as mesmas são propriedade deste blogue e do seu autor