30/09/10

BANHO DO 29 MONCHIQUE CUMPRIU-SE MAIS UMA VEZ A TRADIÇÃO!

Clique em cima da imagem para ver o vídeo

Na praia do Vau teve lugar mais uma vez o banho do 29!

Há onze anos, consecutivos, que a Junta de Freguesia de Monchique revitaliza esta antiga tradição, conforme se pode ler aqui como eram vividos esses tempos no passado. Veja o vídeo da SIC, depois de aguardar uns momentos, para testemunhar o acontecimento clicando em cima da imagem.

16 comentários:

Anónimo disse...

bem-haja á junta de monchique.

Anónima disse...

Senhora Presidente da Junta de freguesia de Monchique, como professora que é, deveria nos dar bons exemplos: não deveria pronunciar “Monchiqueiros”, mas sim Monchiquenses, como o fez na entrevista.

Era no Banho 29 que o mesmo era mais proferido por parte dos Portimonenses, precisamente, porque nos queriam ofender.

“Aí vêm os monchiqueiros para o banho 29”. A mesma tinha uma carga pejorativa que não abonava em nada a nosso favor.

Teria sido uma boa oportunidade para explicar, esse pormenor, às pessoas que o desconheciam, através da televisão, com a visita dos Monchiquenses à praia do Vau e não como o fez.

Anónimo disse...

Bem-haja à presidente da Junta de Monchique, de longe a melhor autarca do concelho.

Anónimo disse...

Cara anonima do 2 comentario vossa excelencia deve ser o expert em bom português!!!Mas se em todo o lado somos conhecidos como Monchiqueiros e assim continuaremos a ser!Nao vejo mal nisso,vejo sim que vossa excelencia tem vergonha nisso.Quanto a actividade esteve muito bem organizada como sempre!Continuem a divulgar o nome da nossa terra desta forma postiva mostrando o que de bom existe nem que seja atraves das tradicoes!

Monchiqueira disse...

Muito bem. Parabéns à Freguesia de Monchique.

Anónimo disse...

Senhora anonima do 2 comentario, custa-lhe tanto reconhecer o sucesso do evento e que a senhra presidente da junta é mesmo a melhor autarca deste concelho?

Anónima disse...

Afinal que responsabilidades se pede a uma Presidente duma junta de Freguesia com as características que a nossa tem?

É por isso que todos os que lá passaram foram tão bons. Nem um único fugiu a essa constatação. A Presidente que antecedeu este mandato até foi convidada para ser vereadora devido à sua enorme popularidade conquistada.

Tal como já tinha acontecido com o anterior Presidente que foi despedido, sem justa causa, das funções que vinha desempenhando, há vários anos, como vereador. Pensou pela sua cabeça, uma única vez, e foi demitido.

A não ser que já estejam pensando fazer desta Presidente a nova heroína para as próximas autárquicas? Será esse o principal objectivo? À falta de melhor candidato ou candidata há que aproveitar o que temos mais a jeito!

Anónimo disse...

Srª primeira anónima,
A senhora, provavelmente, será entendida em linguística, mas entende muito pouco do orgulho que é assumir a essência de ser monchiqueiro. Se antes este termo era usado com preconceito e maldade, hoje é usado intencionalmente pelos próprios habitantes de Monchique que se orgulham de o ser e que fazem questão de assumir a sua identidade, sem se sentirem ofendidos. Pertencerá a senhora aquele grupo de "monchiquenses" que, quando inquiridos sobre a sua origem, dizem que são de Portimão?
Eu, monchiquense de nascimento e residência, assumo aqui, publicamente, que sou MONCHIQUEIRO!

Anónimo disse...

Ó gente,
Os monchiqueiros é que iam ao Banho do 29, pois os monchiquenses eram (e ainda são, pelos vistos)finos de mais!!!
Deixem-se de tretas!

"Na noite de 28 os monchiquenses vinham para o banho do 29..."???
ERRADO!!!

O Banho do 29 era e deve continuar a ser UMA FESTA POPULAR!

Anónimo disse...

Sabe qual é a vantagem da presidente da junta? Não faz parte da classe política. A concorrer com o actual artista dúvido que lhe dê hipótese.

Anónima disse...

Não gosto da expressão utilizada para definir os naturais de Monchique: “monchiqueiro”… ou monchiqueira… é muito depreciativa e ofensiva, tal como era no passado…

Ou será que “mon” – associado a “chiqueiro” não lhes diz nada?
A mim diz-me…e muito… “chiqueiro” quer dizer curral de porcos; pocilga tal como consta no dicionário.

Por isso é que no passado a mesma não era bem aceite. Vão de retro, os que a prenunciam actualmente…mesmo cheios de boa intenção para a tentar expurgar!

Eu sou e serei sempre uma Monchiquense por muito que isso não agrade às elites culturais e políticas cá da terra.

Anónimo disse...

Ó Senhora anónima nº2,
Pronto, deixe lá o Mon + chiqueiro, que é pocilga (Isso será alguma frustração?) e fique com Mon + chique, que sempre é chique! Não é?
Já agora, já tentou pesquisar o nome das muitas associações do concelho que têm monchiqueiro(s) no seu nome?

Eduardo disse...

Estava perto da Presidente da Junta de Freguesia quando foi feita a entrevista, e posso assegurar que, efectivamente, houve da sua parte o minucioso cuidado de fazer a destrinça entre as expressões «Monchiqueiros» e «Monchiquenses».

Assim, se existem reclamações a fazer, deverão ser endereçadas ao técnico da SIC responsável pela edição da reportagem.

Tenho pena que, em matérias como esta, alguns tiros, tantas vezes desferidos, tenham como alvo as pessoas, individualmente, e não as acções, as ideias, as estratégias. Infelizmente, a "fulanização" da política, em Portugal e em Monchique, tem tido os maus resultados que se conhecem. Há em nós um excesso de individualismo, uma ânsia sôfrega de liquidação do nosso semelhante, um ódio desgovernado perante os êxitos e bem-estar do outro, que, cada português, cada Monchiqueiro / Monchiquense, se pudesse, habitava este país e esta terra beneficiando de um regime de exclusividade.

De resto, e no que respeita aos arrazoados do folhetim «Monchiqueiro / Monchiquense», a nossa identidade e significação específicas, são como a dureza óssea da Fóia e da Picota: vêm de dentro, das profundezas dos âmagos. A erosão, corporizada nas forças externas dos elementos, atacando como pode o nosso perfil cultural de pedra, só retalha lanhos onde este se mostra mais enfraquecido.

Anónima disse...

Retiro tudo o que disse acerca do comportamento da Senhora Presidente da Junta. O que me leva a proceder assim é que acredito na explicação do Eduardo que considero um jovem com talento na escrita e intelectualmente honesto nos seus procedimentos como pessoa e como homem a quem prevejo um óptimo futuro.

Muito embora o mesmo, por vezes se queixe de ter sido vítima do poder actual, sem qualquer razão, já que ele faz parte do sistema e já foi beneficiado em detrimento de outros que também têm direito a ter uma oportunidade sem subterfúgios e em igualdade de circunstâncias para conseguir singrar na vida.

Por ele ter dado a cara pela Junta muito embora faça parte da mesma, logo em segundo lugar na lista, tal facto não lhe retira qualquer mérito. Porque reconheço que há uma sofreguidão nos média na sua ânsia de informar que muitas vezes cortam nos pormenores mais importantes.

Aqui fica as minhas desculpas, já que houve essa boa intenção nas falhou nos seus propósitos por culpa de outrem, já que da minha parte e nem de ninguém, que veja a reportagem com atenção, era perceptível deduzir-se que houve esse propósito.

O seu a seu dono. Eu continuo a acreditar nas pessoas bem-intencionadas!

Anónimo disse...

Pois é minha cara anónima!

Você demonstrou ser uma pessoa bem formada por acreditar naquilo que lhe querem impingir mas também pode muito bem ser ingénua ao escrever o que escreveu no comentário anterior do dia 6 de Outubro 14:17.

Você acredita nos políticos? Eu não!

Não se esqueça que “eles” perderam o poder por culpa deles próprios e das malfeitorias que fizeram a quem não era da cor deles.

E agora querem recuperar o crédito que perderam. Só que já ninguém acredita neles!

Você é mais uma que foi ludibriada com falinhas mansas.

Um abraço para si e para a sua honestidade intelectual.

Não se esqueça que para interesse deles e de toda a família até os parentes mais próximos entravam para a autarquia pela “porta do cavalo”, sem concurso, como aconteceu no passado e alguns ainda por lá continuam com contratos a prazo!

Eduardo disse...

Caro anónimo, de pouco lhe servem as canhestras acusações.

Se isto lhe apazigua o espírito, queira saber que não tenho quaisquer ambições políticas. Para mim, a política é uma "aflição" e não uma ambição.

Queira ainda saber que não sou do P. que perdeu o S., e tampouco do PSD. Posto isto, não vale a pena a tentativa de me colar um rótulo e arrastar o relambório para questões de ordem pessoal. São outras as minhas preocupações:

http://terraruim.wordpress.com/2010/09/27/caminhos-que-arrependem/

P.S. Como quem não deve não teme, por que será que fui o único a identificar-me convenientemente? «Não é utilizando mentiras sob a capa do anonimato que conspurcam o bom-nome dos cidadãos, sejam eles quem forem, que a democracia sai fortalecida». Lembrando estas palavras, espero que o administrador do blogue tenha a mesma coragem e bom-senso que mostrou no passado e não deixe que o Mons Cicus seja um local de apedrejamento público.

Cumprimentos a todos.

Veja as fotos que se encontram, em baixo, no final do blogue!

Todas as fotos são referentes ao concelho de Monchique!

as mesmas são propriedade deste blogue e do seu autor

as mesmas são propriedade deste blogue e do seu autor