04/01/11

COLÉGIO DE SANTA CATARINA EM MONCHIQUE. A ÚLTIMA RECORDAÇÃO DUM ENSINO COM QUALIDADE!


Encontrava-se neste estado em 9 de Junho de 2000, quando foi tirada esta foto.

Depois de ter sido um símbolo de educação e ensino em Monchique, e em todo o Algarve, onde se praticava o internato, semi-internato, e externato. As melhores famílias do Algarve e também do Baixo Alentejo, mais abastadas, mandavam para aqui as suas filhas, fruto do prestígio que o mesmo conquistara.

Era um orgulho para a nossa Vila de Monchique, em que os momentos da sua rica história passaram por várias vicissitudes, fruto dos tempos de dificuldade em que o nosso País, sempre, foi confrontado. Desconhece-se os termos legais e as datas precisas em que o mesmo foi obtido. Sabe-se apenas que o edifício foi doado em testamento pelo Sr. José Mascarenhas Pacheco, após a sua morte em 4 de Maio de 1926, com o fim declarado de ali ser instalado um colégio para educação de meninas, em regime de internato.

Começou assim a sua história, a qual foi resistindo estoicamente, durante muitos anos, sempre em luta pela promoção cultural e por um ensino de qualidade. A partir de 1954 os seus métodos de ensino, assim como as freiras que nele trabalhavam, foram transferidos para Faro por estarem ligados à diocese, sem que ninguém, determinantemente a isso, se opusesse. Começou assim uma nova fase, só externato, com nova gerência e outros professores, o que motivou o seu lento declínio que resistiu, galhardamente, até 1974.

Com a chegada do período revolucionário foi o culminar da degradação. Resistiu poucos anos, agora como ensino oficial, passando a chamar-se Escola D. Pedro da Silva, em homenagem ao fundador do Convento da Nossa Senhora do Desterro. O mesmo Convento que também está em vias de ruir completamente.

Cada vez mais degradado, impôs-se o abandono daquele espaço, tendo sido transferido para uma escola improvisada no Largo de S. Sebastião, em barracões pré-fabricados, até ser construída a escola secundária EB 2,3, na antiga Quinta das Laranjeiras, em frente aos Bombeiros.

O velho casario a precisar de obras, mas votado ao completo abandono, acabou por ser vendido pela diocese a um particular. Acabou nas mãos duma instituição bancária, que por sua vez o vendeu à Autarquia, assim como o hotel Mons Cicus.

Finalmente, aparecera um tão inesperado salvador: a Autarquia, com outro poder económico. Pensou-se que a intenção era reabilitar o velho edifício, que era um orgulho para todos os Monchiquenses.

Depressa a esperança deu lugar à maior desilusão. Num dia que não interessa recordar, e sem que ninguém o adivinhasse, o mesmo acabou por sucumbir, por ordem de um dos seus ilustres alunos, que tem o poder de decidir.

Ironias do destino!

Que ao menos a sua memória seja para sempre recordada!

12 comentários:

Anónimo disse...

Como um dos últimos antigos alunos sinto-me um pouco nostálgico quando leio estas notícias ou passo junto ao espaço que já nem ruinas se pode chamar.Pertença da autarquia cabia a esta especialmente arranjar uma forma de rentabilização do espaço em prol de Monchique e especialmente de tantos monchiquenses que como eu lá passamos uma boa parte da nossa juventude.Tanto se tem falado no museu, talvez, não fosse de todo despropositado, fica na zona histórica da vila num espaço de si histórico, tem uma boa área para juntar um espaço de lazer e descanso(toda a parte histórica da vila carece de zonas verdes) pois fica a meio caminho entre a zona baixa da vila e a ruina do convento que ainda é visitada por muitos dos nossos turistas.Esta é só uma das muitas ideias para o espaço.Ideias não faltam,venham as vontades.

Anónimo disse...

parabens a este blogue mons circus

Anónimo disse...

ahahahah mons circus

Anónimo disse...

Pois já lá vai quase ano e meio e o que é que este novo executivo camarário fez por este espaço, ou pelo convento?
NADA!!!
E que projectos tem, ao menos, para estes dois espaços?
Tanto quanto sei, NENHUNS!!!
Afinal houve mudança? Só se para pior.

Anónimo disse...

E o hotel mons cicus na estrada da foia, comprado em conjunto com o colégio, o que pensam fazer com ele? Cada dia que passa vai-se degradando mais. Afinal gastaram o dinheiro de todos nós para quê?

Anónimo disse...

os homens do actual regime não percebem nada disto...

Anónimo disse...

E os do antigo regime ainda menos percebiam. Se percebessem nunca tinham comprado dois imóveis onde se gastou um balurdio com o dinheiro dos nossos impostos sem saberem o que fazer com eles.

Homem da Luta disse...

O povo começa a abrir os olhos para a inércia que é o novo «executivo camarário». Mudança houve, para pior. Deêm-lhes mais tempo...

Anónimo disse...

No Colégio de Santa Catarina: Um museu... um arquivo histórico sobre Monchique, sobre o Algarve... um anfiteatro... uma sala de conferencias... um jardim... um posto de informação turísitica.

No Monscicus: Uma pousada de juventude... alojamento para um centro de estágio, em combinação com outros equipamentos desportivos locais... um centro de interpretação da fauna e flora locais...

No convento: uma pousada rústica, um museu, espaço multiusos.

Ideias não faltam, andam na boca, no pensamento e nos desejos dos Monchiquenses que estimam a nossa terra.

O que falta então?
Vontade! Iniciativa!

Se a autarquia só por si não consegue suportar os custos, procurem estabelecer protocolos e parcerias, canalisar fundos comunitários...

Se no executivo anterior se arranjaram desculpas e subterfúgios para justificar a inercia, neste executivo a inércia é tanta que estes projectos nem chegam a ser tema de debate.

É uma pena ver que na minha terra a história e a cultura ficam deixados para trabalhos académicos que se guardam na prateleira sem serem devidamente confrontados com a prática e a realidade.

A Monchiqueira

Anónimo disse...

Reafirmo tod o meu desagrado com o voto no PSD. Este executivo é uma desilusão,.

Anónimo disse...

Muito bem dito! depois de andar de mão em mão e ter ido parar á posse de quem o devia preservar,foi que lhe deu o golpe final. Quero acreditar que tenha sido uma decisão nenos reflectida e que se pudesse voltar atrás não o faria.

Anónimo disse...

O fim da macacada começou antes deste novo executivo...o fim começou á quinze anos atrás...para não dizer 20.

Quanto a arrependimentos...só me arrependo daquino que não faço, ou daquilo que ñ digo...

também grande parte do país votou socrates, resultado?

Antes votou durão barroso, resultado?

Hoje em dia já não há policticos por convicção, já não há ideaís, há sim policticos profissionais que fazem de tudo para se derrubarem uns aos outros...

Cabe aos politicos dar credibilidade, fazer o povo acreditar que é possivel acreditar...e deixarem-se de lavar roupa suja.

Veja as fotos que se encontram, em baixo, no final do blogue!

Todas as fotos são referentes ao concelho de Monchique!

as mesmas são propriedade deste blogue e do seu autor

as mesmas são propriedade deste blogue e do seu autor