18/10/07

VISITA ÀS RUÍNAS DO CASTELO NO ALFERCE!

(clique em cima das fotos para ampliar)
Uma grande decepção!

Depois de ver a indicação de duas placas toponímicas, em que mostravam a direcção da sua localização, fui prudentemente a pé disposto a percorrer o caminho apontado, que se revelou ter um mau piso, propicio somente aos jipes. O mesmo tem uma extensão de cerca de dois quilómetros sempre a subir.

Chegado às ruínas deparei-me com um cenário aviltante, o local está transformado literalmente num campo de concentração para porcos de raça preta, onde os mesmos são criados em regime de liberdade condicional já que os mesmos estão cercados por uns fios eléctricos rudimentares, que estão ligados a uma bateria que acumula energia proveniente duma placa solar que depois é distribuída ao longo duma extensão demarcada.

O mesmo serve para os porcos, que são inteligentes, não ultrapassaram esses limites uma vez que ao fazerem-no apanham uma, leve, descarga eléctrica o que os faz recuar nas suas intenções de ultrapassarem a mesma, evitando assim procurarem outras paragens.

Para se ver as ruínas temos que invadir o espaço demarcado pelos ditos fios que se encontram a baixa altitude, fácil de ultrapassar. Os porcos ao verem ali um intruso assustam-se, mas os de maior porte, por vezes, sorrateiramente ameaçam morder.

Perante tão insólita situação uma dúvida pairou no meu espírito: se o espaço está demarcado e tem porcos por todo o lado, é porque pertence a um particular, logo estamos a invadir uma propriedade privada.

É inadmissível como a cultura é tratada no nosso concelho. A propriedade não foi comprada, pelas entidades competentes a quem lhes competia proteger estas ruínas. O seu proprietário tem todo o direito de usufruir dela da maneira mais conveniente. Um castelo em ruínas numa propriedade privada é um paradoxo, ainda para mais quando é indicado o caminho, com placas pagas por entidades publicas, para que a mesma seja visitada.

É uma tristeza que assim seja. Não vejo é qual o motivo, que se esteja a ludibriar os incautos turistas que nos visitam para que os mesmos sejam confrontados com uma situação inverosímil.

De ruínas já só resta uns pequenos muros e uns amontoados de pedras, e uma cisterna com silvas no mais completo abandono.

No final salvou-se a visita, ao se ter levantado, ali mesmo, aos meus pés um bando de aves, mais de cinquenta, de grande porte que me deixaram estupefacto e sem reacção para poder em devido tempo tirar uma foto das mesmas, que estavam ali bem próximas, mais parecendo abutres. Seriam as famosas águias de Bonelli que habitam no nosso concelho? Era bom que assim fosse!

6 comentários:

ana pinto disse...

No meu caso, fui eu que me assustei com a presença de um enorme porco, quando alcancei o topo do arruinado castelo.
Não estava à espera de encontrá-lo transformado em curral aberto,e sem qualquer tipo de protecção, uma vez que se trata de um exemplar antiquíssimo e precioso do património de Monchique que DEVERIA ser salvaguardado da incúria e da indignidade.

Lamentável.

Guerreiro disse...

É uma pena ver como se trata a história em Monchique: castelo do Alferce,Convento,Colegio de Stº Catarina,etc.Tenho passado por sitios onde tudo o que é monumento historico é acarinhado mas aqui é o que se vê. Assim nao vale.

Crameia disse...

O Prof. Herman(o) Saraiva quando fez o seu programa na TV sobre Monchique, depois de contar a história do Castelo, apelou do próprio local, para que a Câmara Municipal de Monchique preservasse o local!
Eu próprio enviei fotos ao Sr. Presidente da Câmara, Que tirei em Abril último. Mas a sensibilidade cultural do sr. Presidente não lhe permite descurtinar o que realmente é patrimonio cultural, e a educação não lhe permitio que se dignasse responder-me.
Já agora, as aves que estão na imagem são Abutres, também conhecido por grifo-comum (Gyps fulvus).

Anónimo disse...

Lamento também pela infelicidade desta Freguesia ser governada por um miudo que nem sabe com quantos pães se...
O Presidente da Junta da Freguesia, também por sinal empregado da camara, tem duplamente responsabilidades sobre as áreas em que tem intervenção- ou deveria ter.
Assim, temos um boneco que imita o dono, naquilo que este tem de pior, e o principal defeito é que a vaidade não o deixa sequer falar ás pessoas.

Alfercense (jovem e anónimo por temer o futuro)

Anónimo disse...

Essse..esse tuta nao passa de um ignorante..disfarçado de autarca.
faz lembrar a fabula do cao da palha.
Melhores dias virao...se o Rui ganhar!

Barata Feio

Anónimo disse...

realmente e uma pena conheço bem a zona as ruinas do castelo do alferce costumava la brincar em criança ha 40 anos atras ainda havia muros hoje apenas as pedras com o tempo tudo se acaba emfim e muito trite quem pudesse voltar atas

Veja as fotos que se encontram, em baixo, no final do blogue!

Todas as fotos são referentes ao concelho de Monchique!

as mesmas são propriedade deste blogue e do seu autor

as mesmas são propriedade deste blogue e do seu autor