02/07/09

ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS NO DIA 11 DE OUTUBRO DE 2009!


Clique em cima da imagem

Quem vai decidir as próximas eleições em Monchique?

É já no próximo dia 11 de Outubro de 2009 que vamos ficar a saber quem será o futuro Presidente da Autarquia de Monchique.

O Actual Presidente da Autarquia está à frente dos destinos da mesma há 26 longos anos. Já teve o tempo mais que suficiente numa democracia, que se pressupõe alternância de poder, para poder mostrar todo o seu real valor em prol do desenvolvimento da terra.

Foram sete mandatos consecutivos, sempre com maiorias absolutas. Já chega. Por muitos dos autarcas deste País, com ou sem mérito, se perpetuarem eternamente no poder é que foi necessário arranjar uma solução para terminar com estes "dinossauros" da política que não querem, voluntariamente, prescindir do poder em benefício de outros candidatos mais jovens, até do mesmo partido, mesmo que já estejam reformados como é o caso da maioria deles.

A nova lei da limitação dos mandatos vai por cobro a esta situação. Os actuais presidentes, por lei, já só podem estar à frente das autarquias mais quatro anos. Mas na prática isso já não vai acontecer. Os candidatos a presidentes, na esmagadora maioria, são propostos pelos partidos, logo os mesmos querem ver assegurada a continuidade dos destinos nas autarquias, com militantes seus, ou independentes simpatizantes da sua ideologia, onde a maior parte do tempo sempre governaram.

Assim no decorrer do próximo mandato os candidatados, com três mandatos ou mais, é o número dois da lista que começa propositadamente a ganhar preponderância logo no início do mandato, assumindo-se como número um da autarquia por uma questão de estratégia, para poder ganhar destaque numa futura candidatura. Muitos presidentes acabam mesmo por resignar ao cargo no decorrer do mandato para que o seu número dois assuma, de vez, os destinos da autarquia até ao final do mandato.

Em Monchique tal como noutros concelhos a regra poderá ser a mesma. Por isso estas eleições na prática são disputadas entre o cabeça de lista dos partidos da oposição, e o número dois da lista do partido que actualmente governa. E é neste contexto que vamos ver se o segundo da lista do PS tem melhores credenciais do que o primeiro da lista dos partidos da oposição, para se poder fazer uma real comparação entre os candidatos em presença.

O desgasto político do actual presidente à frente dos destinos de Monchique é notório e significativo e a melhor prova é a estatística. Em mandatos anteriores sempre ganhou com maioria folgada. Foi o caso em 2001 que ganhou com 1201 votos de diferença. O PS teve 2424 e o PSD 1224, conforme se pode confirmar aqui. Em 2005 essa diferença passou a ser mínima, com uma diferença de 535 votos. O PS teve 2288 e o PSD 1753.

Este ultimo mandato com todas as trapalhadas conhecidas e o desgasto daí resultante, as divergências vieram de tal maneira ao de cima que culminou com a expulsão do vereador do seu próprio partido, mesmo sabendo que poderiam perder a maioria se o vereador passasse a independente. Foi o que aconteceu.

Assim neste contexto em que as próximas eleições se vão realizar, basta que haja uma transferência de votos de eleitores descontentes no mínimo de 268 votos do PS para o PSD, para que acabe de vez com o reinado do partido socialista que não trouxe nada de significativo durante os 26 anos que esteve à frente dos destinos da autarquia de Monchique, a não ser assistirmos a uma forte desertificação humana do concelho, por os mais variados motivos, e as implicações negativas daí resultantes.

A juventude, mais sacrificada com esta política, tem por isso uma palavra a dizer para determinar quem será o futuro presidente da Autarquia em Monchique. A população mais idosa é tradicionalmente mais conservadora e por isso vota sempre na continuidade, optando nesse caso por o partido que está no poder. Neste caso o PS. As últimas eleições europeias confirmaram isso mesmo.

Os jovens preferiram abster-se de votar, por estarem descontentes, e os que votaram preferiram votar no BE. As preferências políticas no nosso concelho têm assim maior relevância em dois partidos. Os mais antigos preferem votar no PS. Os mais jovens preferem, na maioria, no BE.

Vamos assim esperar para ver quais são a totalidade das forças políticas em presença, para além das já conhecidas, que vão apresentar candidatos para concorrer às autárquicas 2009 em Monchique para se poder prever o que o futuro nos reserva.

19 comentários:

Anónimo disse...

as candidaturas que se preveem
PS; PSD; CDU; BE
qual a opinião do forum?
3-PSD ; 2-PS ?
3-PSD ; 1-PS; 1-BE ?
2-PSD ; 2-PS; 1-BE ?
2-PS ; 2-PSD ; 1-BE ?

Anónimo disse...

As pessoas do PS ñ enganam...quando se aproximam as eleições começam a sorrir, a comprimentar as pessoas, depois das eleições volta tudo ao mesmo...
Só olham prás suas barrigas. Deus queira que haja mudanças...

Anónimo disse...

BOM ARTIGO DE OPINIAO,E NAO SO...
ESSA E A NOSSA REALIDADE E COM ELA VAMOS TER DE VIVER!
EU NAO DIRIA MELHOR
GRAÇA DIAS

Anónimo disse...

O MOVIMENTO O PARTIDO DA TERRA CONCORRE A MONCHIQUE

Para além da candidatura anunciada de João Pedro Jacinto à autarquia de Vila do Bispo, “são certas as candidaturas do Partido da Terra às Câmaras e Assembleias Municipais de Lagos e de Monchique, devendo o seu anúncio ocorrer na próxima semana para Lagos e posteriormente para Monchique” anuncia aquela força política.

Bruno disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Senhora Graça...
Só vamos ter que viver com esse sinismo e essa falsidade se os eleitores andarem a dormir...ja basta!
A malta está farta da politica do alcatrão...

Ass: Zé Nimguém

António disse...

Ainda vão ver o Sr. Presidente a ganhar a oitava maioria absoluta, consecutiva, mesmo com os contratempos que tem tido. Ele quando vai a Lisboa traz sempre sacos de dinheiro para ajudar os mais necessitados. Vejam o exemplo do Bairro da Ceiceira na estrada da Foia. Foi o primeiro bairro Social a ser feito em Monchique. Foi vendido aos munícipes mais carenciados. Todos ficaram felizes por a Câmara lhes ter proporcionado uma casinha. Foi bonito. Agora a casa é deles.

De então para cá começaram com obras por conta da Câmara. Já duram há anos. Nunca mais pararam até hoje. Vejam se há algum Presidente de qualquer autarquia, de norte a sul do País, que seja capaz de ajudar tanto os pobrezinhos. Se não fosse o Sr. presidente ter tanta disponibilidade para ajudar os mais necessitados o que seria feito daquele bairro sem obras? Quando alguém parte um vidro, uma janela, uma telha, ou alguma torneira fica avariada sabem sempre onde podem ir bater à porta.

Se não fosse assim o Bairro estaria de tal maneira degradado que já ninguém conseguia lá viver. É assim que se presta solidariedade aos mais necessitados. Perguntem àqueles moradores se pensam votar noutro qualquer candidato a presidente proposto por outro qualquer partido, por mais competente que possa parecer? Depois é só ouvir a resposta e tirar as dúvidas quem as tiver.

Anónimo disse...

tambem quero a minha casa pintada e o telhado novo.
sou cidadão eleitor em MONCHIQUE

Anónimo disse...

Esse anonimo que fala da urbanização da ceiceira, mostra bem o seu caracter, pela forma que fala de quem lá vive...pelo que conheço daquilo, tem tanto de bairro social como o de São Roque, mas São roque ñ é bairro social?
Fale antes dos novos focos de habitação social que são prometidos repetidamente em todas as campanhas elitorais, Fale disso?

Antonio S. disse...

Se eu tivesse um tachinho na autarquia em vez de viver em São roque ou na ceiceira, tinha construido uma boa casa terrea com acabamentos do melhor e com mão de obra barata!

Alvaro disse...

Essas obras que o senhor antonio fala lá do bairro social da ceiceira, por incrivel que pareçam são feitas a maior parte das vezes de 4 em 4 anos...estanho não é?

Anónimo disse...

so treta e os pobres que vivem em monchique,nao na ceiceira nem em s.roque,que teem os telhados quase a cair e as paredes,vivem nas nossas ruas degradadas,reformados que conheco muitos,fizeram alguma coisa por eles?

Anónimo disse...

Para o Senhor António!

Então o senhor esqueceu-se de dizer que não foram só as obras na Ceiceira. Então e as do bairro de S.Roque considerado o bairro dos ricos, visto que quem lá mora, alguns deles, não eram os mais necessitados a precisar de casa, mas sim aqueles que mexeram as suas influências junto do poder instituído para através delas terem obtido esse grande privilégio de lhe ser atribuído uma casa a preços reduzidos.

Foi um médico, um político, um gerente de caixa, empresários, funcionários públicos e funcionários de outras instituições. A maioria deles já vendeu as suas casinhas, algumas por o triplo do preço, tirando daí altos dividendos sem que a autarquia se opusesse a isso. Apesar de alguns terem uma cláusula na escritura que não permitia isso sem autorização da autarquia.

Os que lá estão continuam a ser beneficiados com obras de toda a espécie e alguns até com pinturas exteriores que custam milhares de euros. Tudo à pala da autarquia. A isto costuma chamar-se a verdadeira injustiça social. Tudo tem um preço e estes votos, assim obtidos, têm saído bem caros a todos nós que pagamos impostos, sem nada de relevante receber em troca por parte da Autarquia.

Anónimo disse...

SENHOR ANTONIO DO DIA 3 de julho de 2009 21:29.

Gostaria de saber o que tem a dizer...

Quando o senhor falou dos necessitados da ceiceira de forma ironica mostra bem o qoe você presta...

Necessitado é você e a sua gente, não de dinheiro mas sim de honestidade!!!!!

SENHOR ANONIMO DO DIA 5 DE JULHO, o senhor descreveu e bem a realidade, obrigado!

Anónimo disse...

obrigado sr anonimo 6 de julho eu sou o 5 de julho,os senhores ja viram a quantidade de ruinas que estao nas nossas ruas?mais logo somos um ou dois descamisados que ca vivemos nas casas degradadas e as ratazanas que nos hao-de comer

Anónimo disse...

"A limitação de mandatos parece, à partida, uma bela ideia mas o que pode acontecer é que o Presidente da Câmara, eleito para o seu último mandato, pode ficar sujeito a um fenómeno até então inexistente: Algures a meio do seu mandato, colaboradores, deputados municipais, vereadores e até funcionários começarão a olhar para o futuro, para o próximo Presidente, seja ele ou ela do mesmo partido ou não. A probabilidade de um Presidente se encontrar* numa situação em que ninguém lhe liga nenhuma acabará por depender quase exclusivamente das relações que o próprio desenvolver com os candidatos a seus sucessores, podendo mesmo ficar totalmente dependente deles ou então conseguir o inverso o que é muito mais difícil. Pode é deixar, na prática, de ser ele o Presidente da Câmara sendo-o apenas em nome"

[retirado de http://31daarmada.blogs.sapo.pt/ a 22-07-2009]

Com os pés assentes na terra disse...

"para que acabe de vez com o reinado do partido socialista que não trouxe nada de significativo durante os 26 anos que esteve à frente dos destinos da autarquia de Monchique"... o nome deste blog, descreve perfeitamente os assuntos nele abordados. O autor deve sofrer mesmo de "sonambulismo" ou "autismo". Dizer que os ultimos 26 anos de governação socialista à frente da autarquia não trouxe nada a esta terra é no mínimo repugnate. Afinal que infraestruturas faltam nesta Vila? Será que o abandono não tem a ver com o "sonho do litoral" (coisa que é generalizada por todo o país)?
Criticar é fácil, fazer são outros "quinhentos" não haja dúvida!

Anónimo disse...

Este deve estar com os pes assentes na terra, mas não é em Monchique. Mê amigue acorde desse sono profundo e venha a Monchique ver o que se passa.
Que ignorância mê dês!

Anónimo disse...

Durante 26 anos de tuta muita coisa foi feita mas muitas ficaram por fazer, criticar ambicionar , e proprio do ser humano ,mas sera que não se fez mais do que não se fez...

Veja as fotos que se encontram, em baixo, no final do blogue!

Todas as fotos são referentes ao concelho de Monchique!

as mesmas são propriedade deste blogue e do seu autor

as mesmas são propriedade deste blogue e do seu autor