23/03/09

A CARTA QUE A LAURINDA RECEBEU DA SUA PRIMA HÁ DOIS ANOS!

Outro dia recebi uma carta!

Era da minha prima Efigénia, onde ela me dizia: Olha filha, tu que estás com problemas com o teu emprego, vem mas é morar novamente em Monchique. Até podes começar uma vida nova, e ir vender na Praça dos legumes e do Peixe que é a mesma coisa, e juro-te que não vais pagar nem um cêntimo à Câmara por o aluguer das bancadas, é tudo completamente de borla, e no fim do dia, ainda vem os empregados da Câmara fazer a limpeza. Sim porque eles são muito asseados e deixam tudo num brinquinho.

Se quiseres te dedicar ao artesanato, eles na Foia, estão lá arranjando aquilo tudo de novo, e aquela infra-estrutura Turística, é que é um bom futuro, porque aquilo é muito bonito, e turistas não vão faltar, e tinhas ali o teu ganha pão garantido, porque o artesanato ainda continua a dar muito, mesmo com a concorrência dos chineses, e tu possivelmente também não irias pagar nada, porque eu tenho aqui bons conhecimentos e com jeito, tudo se havia de arranjar.

Se quiseres ir visitar os teus pais, que ainda moram na Foz do Carvalhoso, o autocarro da Câmara, também te leva e traz de borla, sem teres de pagar absolutamente nada, e olha que os autocarros são muito cómodos.

Como sei que gostas muito de água, por isso é que traíste as tuas raízes, para estares perto do mar, e como gostas muito de nadar, e para te fazer esquecer a nostalgia, também podes ir de vez em quando dar um mergulho na piscina nova, que é uma maravilha, é tudo à borla, ninguém te vai pedir nada nem à entrada nem à saída.

Se quiseres alugar uma casinha, aí já é um bocadinho mais complicado, porque não há casas da Câmara disponíveis e a dos particulares custam muito caro. As promessas de fazer casas novas foram muitas, mas deve estar tudo “em águas de bacalhau”, porque nunca mais ouvi falar nelas. Mas em compensação a água aqui é muito baratinha e ainda por cima, não vais pagar a taxa de resíduos sólidos e tão pouco a taxa de conservação e tratamento de esgotos.

Olha filha, vem depressa que é para aproveitares a água que corre aqui nas nossas torneiras, porque já há por aí uns mal intencionados, que andam a dizer que vamos começar a beber da mesma água que vocês aí consomem. Como isso vai ser feito, não me perguntes que eu também não te sei responder. Mas isso deve ser boatos, tu deves saber como é esta coisa da política, inventa-se sempre muita coisa, e depois acaba por não ser nada do que dizem, só para chatear aqueles que já estão no poder.

Vem filha, dizia ela, e depressa, porque as coisas quando se começam a saber, não falta por aí muito estrangeiro a querer vir morar para cá, e tu ainda te podes arrepender senão vieres. E ainda por cima, tens aqui um parque, onde podes colocar o teu automóvel de dia e de noite e sempre bem vigiado e com muita segurança.

Porque também te digo, se não conseguires a casinha, alguma coisa se há-de arranjar. Já sabes, podes contar com a amizade sincera da tua prima Efigénia.

E não é que isto entrou-me na cabeça e já estou a ponderar seriamente na proposta da minha prima, e no meu regresso á terra que me viu nascer.
28 de Março de 2007 12:10

Comentário feito por Laurinda no dia 28 de Março de 2007 a este post que se pode ver aqui. Dois anos depois tudo continua, praticamente, na mesma. Onde mora, agora, a Laurinda?

2 comentários:

Laurinda disse...

Posso informá-lo meu caro sonhador que a Laurinda vive neste momento em Portimão. Mas prometo voltar de novo à terra que me viu nascer qunado me reformar.

Anónimo disse...

se a laurinda vier para ca quando se reformar e porque ja esta doida da cabeca,porque os que ca tentam sobreviver e porque nao teem mais para onde ir,agora com tantas facilidades so nos resta ir para o asilo,que agora com estas modernices se chama lar da terceira idade,mas ate e bom porque esta ao pe do bunker e se houver uma tentativa de golpe camarario podemos nos abrigar la de algum foguete disparado mal intencionado agora no 25abril.agora com os meus63anos ja com os filhos mal criados ainda vou para a fonte dos choroes chupar os lalas e alguma cervejota que os camones me pagam para eu spekar com eles o que os dixam muito contentes e pena a nora nao ir a concurso agora porque com odinheiro da minha reforma eu ia conquistar aquilo aos moiros.para acabar vou dexar a frase do dia. quando um nao quer dois nao brigam.

Veja as fotos que se encontram, em baixo, no final do blogue!

Todas as fotos são referentes ao concelho de Monchique!

as mesmas são propriedade deste blogue e do seu autor

as mesmas são propriedade deste blogue e do seu autor