03/04/11

PLÁTANOS SITUADOS NO PÉ DA CRUZ!


Árvores classificadas de interesse público pelo Diário do Governo, II Série, nº. 190, de 14 de Agosto de 1993.


O dia 30 de Março de 2011 foi um dos dias escolhidos onde as mesmas foram sujeitas a uma poda que foi considerada, por quem assistiu, profunda onde foram cortadas três árvores junto ao solo. Em sua substituição foram plantadas três árvores de viveiro, para colmatar a perda sofrida, com cerca de 4 m de altura.

Do conjunto das antigas dezassete que compunham a alameda de plátanos restam agora catorze das antigas árvores. Clicando aqui pode ver o vídeo com os trabalhos que foram efectuados o qual lançou uma profunda controvérsia, com o resultado final, entre os defensores acérrimos do nosso património natural!

6 comentários:

Aurélio Agapito disse...

Quando no ano passado vi caída, encima do telhado do escritório da bomba de gasolina BP, uma pernada (bastante grossa) que se partiu de um dos platanos,pensei que se pudia ter dado ali uma grande tragédia e que algum dia,ela seria eminente. Certamente que quem mandou cortar aqueles platanos terá posto a segurança acima de tudo. Pergunta-se: Como os troncos estavam sadios, porque não podar apenas os ramos? E seria sensato e suficiente cortar os ramos? Sendo cortadas só as pontas mais delgadas,penso que o problema subsistia; se cortassem na parte mais grossa das pernadas, iriam aparecer novos rebentos. Mas a enorme cicatriz já mais fecharia e os rebentos, depois de crescidos,iriam descolar do tronco mal soprasse um vento mais forte e o perigo persistiria, apenas teria sido adiado. Penso que é melhor ir ao fundo da questão: As arvores estão a ficar velhas porque o terreno à sua volta foi impermeabilizado com o pavimento de alcatrão. Árvores daquele porte precisam de grandes zonas de infiltração de água para continuarem saudaveis. Para que não tenhamos a tristeza de ver abater as restantes á necessária que o alcatrão seja substituído por calçada para que o terreno respire e a água se infiltre.

Anónimo disse...

Se me é permitido Sr. Aurélio essa desculpa de se poder dar uma tragédia é qanto a mim uma falsa questão pois se fosse essa a certeza cortavam todos e não deixariam os outros(que por acaso são mais perigosos ao posto B.P d que aqueles que foram cortos)pois essestambem cair em cima de alguem ou algum carro!E não plantariam novas arvores em substituição das antigas!As suas questões não deixam de fazer sentido mas a principal quanto a mim prende-se na explicação(ou falta dela)do porquê de tal corte em arvores sadias(como e pode ver nas fotos/video)?Em que estudo se basearam?
Quanto á substituição do alcatrão por calçada té era bem giro e a entrada na vila votaria ao antigamente mas duvido que a população esteja de acordo consigo!Depois vinham pedir o arranjo do carro!!!

Anónimo disse...

Gostei do seu comentario sr Agapito. O problema e que neste pais funciona as cunhas , ora se os platanos estao contaminados com um fungo cujos esporos sao dispersos pelo vento a mais de 7 km,porque e que nao se elimiou todo o material lenhoso em vez de ir para o homem da couve para lenha a menos de 1km os outros platanos ficam em lista de espera nao sera?

Anónimo disse...

vergonhoso o corte destas centenárias árvores. Muito mais perigoso é toda a vegetação que se encontra nas proximidades das bombas.
o que mais me espanta é a passividade da população e do poder local, que nada fez para impedir que tal vergonha se concretiza-se. Seria muito mais sensato que tivessem feito uma manutenção das árvores.

Aurélio Agapito disse...

Sr António
Infelizmente terá razão em relaçao à sua suspeita: Os outros poderão estar na lista de espera! Continuo a pensar que o verdadeiro fungo que está a atacar aquelas árvores é a impermeabilidade do solo. Até pela folhagem se vê que as que estão nas pontas onde o terreno não está impermeabilizado têm mais saúde. Nas outras os troncos começam a ficar rijos, velhos e sem flexibilidade. vem o vento deita-os abaixo. É urgente estudar a situação e tomar medidas que ponham a salvo as que restam, se não for já tarde de mais!

Luisa disse...

Não acho bem os platanos terem sido cortados, pois eram árvores centenárias que sempre existiram à entrada da nossa vila, e foi por negligência do homem, que ao tapar, com a camada de alcatrão, o acesso da água para a sua vida, que elas morreram.

Veja as fotos que se encontram, em baixo, no final do blogue!

Todas as fotos são referentes ao concelho de Monchique!

as mesmas são propriedade deste blogue e do seu autor

as mesmas são propriedade deste blogue e do seu autor